X Contos Eroticos » Orgias » Nossa primeira suruba deliciosa

Nossa primeira suruba deliciosa

  • 6 de outubro de 2018
  • 2670 views

Eu e minha esposa temos uma relação sexual muito gostosa. Fizemos de tudo na cama. Outro dia eu dei de presente a ela um vibrador. Tivemos uma trepada fantástica. Enquanto ela sentava no meu pau, eu metia no cuzinho dela com o vibrador. Ela gozou muito. Depois ficamos conversando como seria se, em vez do vibrador, fosse um outro cara. A príncipio ela disse que não se sentiria bem em ser tocada por alguém estranho. Eu falei que se a gente estivesse com muito tesão nem iria notar. Sugeri que poderíamos ir a um clube de swing e, se desse tesão poderíamos entrar na brincadeira. Ela topou. Transamos mais uma vez imaginando que o vibrador era um cara que fodia ela. Procurei me informar onde teria um bom clube de swing para irmos. Fiquei sabendo que numa cidade próxima da nossa havia um clube de casais. As pessoas podiam fazer o que desse vontade ou nao fazer nada. No fim de semana fomos ao clube.

Ela colocou uma roupa bem sexy. A calcinha, fio dental e um soutian meia taça, e meias 3/4. Tudo branco. Por cima um vestido bem colado no corpo. O ambiente do clube era muito bom. Tocavam musicas ótimas. Nos sentamos numa mesa com outro casal e ficamos conversando. Eles eram frequentadores assíduos do clube. Nossos novos amigos nos convidaram para dançar, claro que com mulheres trocadas. Ficamos dançando algumas músicas. A dança só era desculpa para um amasso gostoso e sentir a receptividade do parceiro/a. Quando voltei para a mesa já estava de pau duro. O meu novo amigo também. Enquanto bebíamos um vinho, o animador avisou que seria realizado um desfile de roupas íntimas. As mulheres que desejassem participar era só irem para o meio da pista de dança. A mulher do meu amigo disse que isso era uma brincadeira pra descontrair, e convidou minha esposa para participar. No início ela ficou meio encabulada, mas a nossa amiga levantou-se e tirou o vestido, ficando só de calcinha e soutian. Lucia, minha esposa, imitou-a. As duas foram reunir-se a outras mulheres que ja estavam na pista. Para animar tocava um música bem gostosa para dançar. As mulheres desfilavam entre os homens, que fizeram um círculo, e dançavam. As luzes eram ótimas para realçar as cores. E como a Lucia estava de branco a luz negra dava-lhe um destaque singular. A tesão aumentou muito. Vários homens estavam com seus paus para fora e tocavam punheta. Algumas mulheres se esfregavam naqueles paus duros. Lucia entrou no embalo e fazia o mesmo. Não demorou muito e quase todos os homens estavam nus e agarravam alguma mulher, que não era a sua. Eu agarrei uma morena gostosíssima e ficamos no maior amasso. Fomos sentar num sofá e ficamos na maior chupação. A morena chupava meu pau que parecia que queria engolir. Eu mamava os seios dela como um bebê faminto. Já não aguentava mais aquela chupação, pedi que ela sentasse em cima do meu pau. Ela virou-se de bunda para mim encaixou a cabeça do pau na entrada da buceta e deixou o corpo cair. Entrou tudo de uma vez até o fundo. Ela mexia muito gostoso e eu segurava ela pela cintura. Ficamos assim até ela gozar e em seguida eu me acabei. Ficamos abraçados curtindo o cansaço do gozo. Aí eu lembrei. E a Lucia o que estará fazendo? Olhei para os lados procurando-a. Encontrei-a ajoelhada num sofá e apoiada nas costas do sofá. Um cara atrás dela metia com vontade, segurando-a pela cintura. na frente outro cara que ela chupava, agarrando o pau com as duas mãos. Fiquei olhando aquela foda. Estava gostoso vê-la fodendo daquele jeito. Nao demorou e eu fiquei de pau duro novamente. A morena começou a mexer novamente. Mas eu pedi a ela que ficasse de quatro, queria meter por trás. Ela concordou e ficou de quatro. Que bunda maravilhosa. Abracei ela por trás e meti meu pau na buceta. Agarrava os seios, lambia o pescoço e metia fundo. Nao demorou e ela gozou. Mas meu pau estava duríssimo. Eu falei no ouvido dela. Deixa eu meter no cuzinho. Ela não disse nada, apenas pôs as mãos para trás e abriu a bunda. Encostei a cabeça do pau no cuzinho dela e fui enfiando bem devagar. Ela mexia a bunda para ajudar. Empurrava a bunda para trás. Entrou tudo. Que delícia. Ela pediu: Mete com força. Agarrei-a pela cintura e passei a meter com toda força que tinha. Meti até gozar novamente. Caí por cima dela exausto. Depois que me recuperei, passei a apreciar as fodas que aconteciam. A minha mulher estava sentada chupando outro cara. O cara de pé na frente dela, segurava-lhe a cabeça e metia o pau na boca. Ficaram assim um tempo, aí o cara sentou e disse para ela sentar em cima dele. Percebi que ele encaixou o pau no cuzinho dela. Ela mexeu a bunda e ele segundo-a pela cintura puxou-a para baixo. Cravou todo o pau no cuzinho dela. Ela subia e descia a bunda naquele pau. Aí chegou um cara e deu o pau para ela chupar. Ela chupou até ele ficar duro. Os dois falaram alguma coisa que não ouvi. Mas o cara que comia o cuzinho dela, puxou-a para cima dele. Ela ficou deitada por cima do peito dele. o outro se acomodou e foi metendo o pau na buceta dela, que estava toda arreganhada. Eu estava assistindo minha mulher fazer uma dupla penetração. Os dois caras foderam ela até gozarem. Ela gritava de tesão e gozo. Depois que os três gozaram, eles se desengataram. Lucia levantou e começou a me procurar. Quando me encontrou, me abraçou e disse que se sentia uma fêmea completa. Tinha gozado muito, estava muito feliz. Eu disse que queria fuder com ela e mais um cara. Ela disse que iria procurar um cara que ela tinha chupado. O cara tinha um pau bem grosso e ela queria sentir ele metendo nela. Fomos os dois juntos. O cara estava sentado descansando de uma trepada. Ela deitou sobre o braço do sofá e passou a chupar o cara. Eu fiquei atrás dela e meti no cuzinho. Aliás não era mais cuzinho e sim um cuzão, de tanto pau que levou. Quando o cara ficou de pau duro, ela me pediu para trocarmos de posição. O cara levantou e eu pude ver o pau que ela iria comer. Não era muito grande, mas era muito grosso. O cara se posicionou atrás dela, abriu a bunda dela com as mãos, ela agarrou aquele caralhão e dirigiu para o cu. O cara deu uma estocada e entrou a cabeça. Ela deu um grito de dor e prazer. Ele deixou que o cuzinho dela acostumasse um pouco e deu outra cravada. Entrou tudo. Eu me coloquei na frente dela e dei meu pau para ela chupar. A cada metida do cara ela engolia todo meu pau. Sentia ele bater na garganta dela. Ficamos nesta foda durante muito tempo. Senti ela gozar várias vezes. Até que gozei novamente. O cara continuava a bombear no cuzinho dela. Ele tirava o pau todo para fora e voltava a meter tudo de uma só vez. O cuzinho dela estava arrombado. Mais umas metidas e o cara gozou. Quando ele tirou eu olhei para o estrago. O cu da Lucia estava todo aberto. E ela gemia de prazer. Dizia que era uma fêmea feliz. Depois desta foda ela não quis mais levar no cu. Apenas chupava os paus que lhe ofereciam. Terminou a noite chupando dois caras que gozaram nos seios dela. Ela estava realizada, e eu também. Pegamos nossas roupas e fomos embora. Foi uma noite gostosíssima.

Contos relacionados

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 - X Contos Eroticos