X Contos Eroticos » Fantasias » Enrabando a irmã safada da igreja

Enrabando a irmã safada da igreja

  • 20 de fevereiro de 2019
  • 4015 views

Meu nome é Bruno tenho 23 anos, moro em Salvador-BA e, história que vou lhes contar aconteceu a cerca de três anos, onde na época tinha 20 e frequentava uma igreja de uma religião a qual não citarei o nome por questão de ética.

Já tinha quase seis meses que havia me filiado a uma determina religião e conheci uma mulher de 35 anos, mãe solteira gordinha e bonita chamada Eliana, uma mulher muito gentil, sempre disposta a ajudar os necessitados, muito dedicada a seu filho e a causa religiosa.

A irmã Eliana como a chamava era muito atenciosa comigo e as vezes me convidava para almoçar em sua casa, ela tinha um filho de 9 anos que gostava muito de mim e dizia que eu era o irmão mais velho, eu o levava pra cortar o cabelo, jogar vídeo game, mas nunca havia sentido nada pela mãe dele além de um grande respeito.

Até que em um domingo pela manhã após o término de um culto, a irmã Eliana me convidou para passar em sua casa no fim de tarde, disse que seu filho havia ido passar o fim de semana com o pai e queria alguém para conversar; eu disse que iria.

Chegando lá irmã Eliana me atendeu muito bem como sempre agradeceu por ter ido e me ofereceu um lanche; ela havia feito pavê, uma sobremesa gelada que eu adoro. Após comermos ela começou a me encher de elogios dizendo que me achava um negro muito bonito e que se fosse uns 10 anos mais jovem …Eu disse irmã a idade é apenas um detalhe e para min, não isso importa a senhora ou melhor, dizendo você é mulher jovem e muito bonita, ela sorriu e agradeceu o comentário.

O que mais me surpreendeu foi o convite que ela fez para dormir em sua casa, pois estava se sentindo só eu não pensei duas vezes e, disse que sim. Então liguei para casa para avisar a minha família.

Na hora de dormir ela arrumou o quarto do garoto e disse que eu dormiria lá, mas 15 minutos depois pediu para que retirasse o colchão da cama do garoto e colocasse ao lado da sua cama para que pudéssemos conversar mais um pouco e depois de alguns minutos ela se jogou da cama e caiu em cima de min que estava no colchão no chão me deu um beijo na boca bem gostoso e molhado; claro que correspondi e fiquei de pau duro na hora; comecei apensar no prazer que ela podia me proporcionar, mas quando toquei seus seios por cima da roupa, ela recuou e pediu desculpas dizendo que não podia ter feito aquilo, daí eu disse que não havia porque se desculpar e que tinha gostado do beijo, ela meio sem graça me confessou que não transava a mais de dois anos devido um voto de castidade que fez na igreja e só poderia fazer sexo depois do casamento se casasse novamente.

Ela então voltou pra sua cama e ao perceber aquela mulher cheia tesão me olhando, subi na cama fui para cima dela e comecei a beijar a boca, pescoço, ouvido, ela usava um short por baixo da camisola, coloquei minha mão por dentro e senti sua boceta encharcada, comecei a esfregar seu grelo e enfiar o dedo enquanto também deixava seus seios a mostra para mamar feito um bebê faminto, então daí ela começou a apertar meu pau pela bermuda, mas não resistiu, o tirou para fora, começou a retribuir a masturbação que fazia nela em seguida foi beijando meu peito e descendo até colocar meu caralho na boca, ela chupava com muita vontade parecia que estava com saudades de uma boa pica. Então ela tirou seu short, me puxou pra cima dela a essa altura estava somente de cueca com o pau de fora mas eu precisa provocar mais e, então chupei aquela xota cabeluda, ela disse que não tinha depilado porque não esperava foder tão cedo, mas eu não me importei nem um pouco, parti os pelos ao meio coloquei minha boca enfiando a língua bem fundo, enquanto ela dizia para eu parar que aquilo não era certo.

Grande foi a minha surpresa quando fui encaixar meu pau e percebi que não entrava de jeito nenhum, ela estava bem lubrificada, mas acho que pelo tempo que ficou sem transar, parecia uma virgem. Então comecei a pincelar na entrada dos lábios de sua vagina e consegui enfiar a cabeça introduzindo centímetro por centímetro até conseguir enfiar tudo e comecei a bombear devagar até ir aumentando a velocidade, ela gemia dizendo que estava doendo, mas não era para eu parar, pedi para que ela ficasse de quatro e aí foi mais gostoso ainda, Eliana tinha uma bunda grande e gostosa que eu dei vários tapas enquanto puxava seus cabelos, pouco depois ela gozou intensamente, senti sua chota morder meu pau como se fosse uma boca sem dentes, quando eu estava chegando lá… ela pediu para que eu gozasse nos seus seios e atendi seu pedido, mas os jatos atingirão também seu rosto as pernas dela tremiam de tesão ela disse que tinha gostado muito depois tomamos banho juntos e deitamos abraçados e dormimos, essa foi a primeira de muitas vezes que eu irmã Eliana transamos, hoje somos bons amigos e ela é casada.

Contos relacionados

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 - X Contos Eroticos